.
.

O QUE MAIS LHE INTERESSA SOBRE ORIXÁS:

SOBRE O SEU ORIXÁ DE CABEÇA:

Páginas Visitadas

ORIXÁS, UMBANDA E CANDOMBLÉ

POR AMOR AOS ORIXÁS - ANO III

Seguidores

Seguir por Email

sábado, 8 de outubro de 2011

Elementos usados em Ebós - parte III



Otin-olojé (gim ou genebra)
Aguardente com as Bagas do Zimbro fermentado.
Considerado a bebida da riqueza como relara o Ésé do Odu Òtúràrété.
Por sua característica quente, ativa e refrescante, é utilizado para ativar, acordar, excitar a energia de Egungun, Orisha e Ori em Ibori.

Por sua característica excitante é bem peculiar ao poder masculino favorecendo prazer, satisfação.
Contrapartida não é aconselhável usar qualquer tipo de aguardente de forma aleatória para as Iyaami e qualquer espírito feminino, nem mesmo no culto de qualquer Ancestral Feminina recém desencarnada, porque a bebida alcoólica tem o poder de estimular reações e efeitos caóticos quando ofertado a qualquer classe de Espírito feminino.
Enquanto no culto de Osanyin o Otin-Olojé é de grande eficácia para acionar o Ashè das Ewe (essência das folhas), utilizando-o puro para macerar ou após pilar as folhas, principalmente para o Awé (banho) de purificação, expurgação de má energia, etc.

Sekete (cerveja de milho ou qualquer outra cerveja fermentada).
Processo de preparo do Shekete:
2 k de Milho fresco moído depois adicionar uma casca de laranja da terra, ½ k de açúcar mascavo, 200 ml de melado de cana.
Deixe a mistura fermentar durante a noite inteira até no outro dia, no mínimo, no dia seguinte coar espremendo bem o líquido e colocar no fogo até ferver, uma vez que o liquido entrar em ebulição o Shekete está pronto, então é só engarrafar e fechar a garrafa com uma rolha e guardar a garrafa deitada.
O bagaço do Shekete que foi coado deve ser bem espremido depois frito com cebola e manteiga, quando se mistura um pouco de feijão fradinho cozido.
*** Por ser obtido através do processo de fermentação o Shekete é utilizado a fim de excitar, ativar, avivar, intensificar, atiçar, levantar, melhorar, fazer saltar, fermentar o sucesso financeiro, abundância, consideração e produtividade. Portanto é muito utilizado principalmente no culto de Ogun, Oshun, Orunmila, Ori e Egungun.

Emù-Aguró (vinho da palmeira), Por ser fornecido pela Palmeira sagrada é utilizado no culto de Ogun, Esù, Orunmila, Ori e Ancestrais masculinos.
No culto à Obatala é utilizado para advertir a sua origem, porém jamais lhe é ofertado.

Otinreke (cachaça), é somente usado nos ritos dos Oku-Egun (mortos recentes). Jamais é utilizado como oferenda à Ori, Orisa’s e nem mesmo Eshù, porque não tem qualquer função no culto à Vida.

Epo (azeite de palma), por sua cor avermelhada muitas vezes é substituinte do Sangue vermelho animal é utilizado em muita quantidade para apaziguar principalmente as Iyami e Eshù, porém ainda por sua característica emoliente muito suave, é utilizado em grande quantidade para abrandar situações hostis e também aqueles Orisha’s mais violentos, como Ogun/Logun/Osoosi, Shango, Obaluwaiye, etc. Ou seja, o Epo é utilizado em muita quantidade para amolecer ou agradar a todos os Orisa’s e Ancestrais, mas principalmente Esù e as Iyami, exceto diretamente para Obatala em seu culto, no entanto é muito utilizado para Ori.

OBS: No caso de ativar ou acender o Ashé de um Orisa num rito, após a utilização do Otin-Olojé o Epó deve ser utilizado em pouquíssima quantidade, apenas gotejando-o.

Omi tutu (água fresca), por ser o elemento branco que corre nas entranhas da terra, é considerado o sêmen feminino, ainda por sua característica refrescante tem o poder de apaziguar situações hostis ofertando à Ori, Orisa’s masculinos e os Ancestrais, mas para as Iyami o Omi é totalmente indiferente, não apazigua, serve somente como elemento para saudá-las e reverenciá-las.


Adin (Óleo branco extraído do cerne do coquinho do Dendê); por sua característica refrescante, macia e a principio de cor branca, é utilizado amplamente no culto de Obatala, mas um tabu rigoroso para Esù, pois tem a função de excitá-lo demasiadamente (não esquecendo que Eshù já é uma energia naturalmente dinâmica), podendo ser caótico.

Otiburú (vinagre ou vinho azedo).

Alumãn (café). Sagrado para Osanyin e Egungun.

Por Alexandre de Oxalá - Baba Alaiye
http://www.redeafrobrasileira.com.br/group/candomble/forum/topics/2526150:Topic:27868

POSTAGENS RECENTES

PESQUISAR ESTE BLOG

Carregando...

ARTIGOS SUGERIDOS

PÁGINA INICIAL

PÁGINA INICIAL
click na imagem

ORIXÁ EXÚ

ORIXÁ EXÚ

ORIXÁ OGUM

ORIXÁ OGUM

ORIXÁ IANSÃ

ORIXÁ IANSÃ

ORIXÁ XANGÔ

ORIXÁ XANGÔ

ORIXÁ OXUM

ORIXÁ OXUM

ORIXÁ OXÓSSI

ORIXÁ OXÓSSI

ORIXÁ IEMANJÁ

ORIXÁ IEMANJÁ

ORIXÁ OMOLÚ

ORIXÁ OMOLÚ

ORIXÁ NANÃ BURUQUÊ

ORIXÁ NANÃ BURUQUÊ