.
.

O QUE MAIS LHE INTERESSA SOBRE ORIXÁS:

SOBRE O SEU ORIXÁ DE CABEÇA:

Páginas Visitadas

ORIXÁS, UMBANDA E CANDOMBLÉ

POR AMOR AOS ORIXÁS - ANO III

Seguidores

Seguir por Email

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Iansã para o público juvenil

Oyá, deusa das guerras e das tempestades, mulher amante da música e da dança e que adora vestir roupas vermelhas virou personagem de livro voltado ao público infantil. Iniciativa do abrangente programa AfroUneb - ligado ao mestrado do departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia -, Iansã (como Oyá também pode ser chamada) abre a coleção que pretende levar aos pequenos estudantes baianos as lendas dos orixás de origem iorubá, mais conhecidos dentro das diferentes religiões de matrizes africanas.

"Só havia produções infanto-juvenis com heróis de contos de fadas baseados na civilização européia. A idéia é elevar a auto-estima das crianças negras mostrando sua ancestralidade com reis, guerreiros e sacerdotes e contar a história do Brasil não sob a ótica da cultura hegemônica", levanta Fábio Lima, mestre em Antropologia e doutorando em Estudos Étnicos Africanos, que adaptou a lenda de Oyá para a linguagem da garotada.

A edição foi ilustrada pelo formando em Desenho Industrial da Uneb, Tiago Hoisel que, a princípio, não tinha muito conhecimento sobre o assunto. "Por ser o meu primeiro trabalho na área da cultura afro-brasileira, usei como referência ilustrações de orixás de grandes mestres como Carybé, além de me apoiar em pesquisas que fiz ouvindo pessoas ligadas à religiosidade africana", lembra. O resultado, fincado na linguagem do cartoon, atendeu à intenção do autor de aproximar Iansã dos personagens de desenho animado de lutas com os quais a criançada de hoje em dia anda bem familiarizada. Lima conta que tomou cuidado para equilibrar a informação das guerras e dos heróis com uma mensagem pacificadora.

África na sala de aula

Iansã é o primeiro resultado mostrado ao público do programa AfroUneb - conjunto de ações voltadas à formação de professores e produção de material didático para atender a lei federal 10.639/03, que determina o ensino da história e cultura africanas e afro-brasileiras nas escolas do país. A intenção da professora Ana Rita Araújo Machado, uma das coordenadoras do AfroUneb (que tem coordenação geral do professor Wilson Roberto de Matos), é chegar até o final da segunda etapa do programa, prevista para o começo de 2007, com dez orixás retratados na coleção. Em breve, será lançado o segundo exemplar, com a lenda de Oxóssi.

"Mais do que atender à lei, o objetivo do programa é construir, no âmbito da academia, uma lógica educacional não racista", observa a coordenadora. O programa, que partiu do know-how acumulado no Laboratório da Cultura Negra, do mestrado de Ciências Humanas da Uneb em Santo Antônio de Jesus, está prestes a concluir sua primeira etapa, composta por 18 ações ligadas à formação de professores e produção de material didático. Dentre elas, estão listados o site do AfroUneb e o CD-Rom Time line - que deve ser lançado nos próximos dois meses -, voltado a professores do ensino médio e fundamental.

Desde o começo do funcionamento do programa, em dezembro do ano passado, 150 professores das redes públicas municipal e estadual das cidades de Salvador, Bonfim, Santo Antônio de Jesus, Itaberaba e Alagoinhas, já cursaram a formação do AfroUneb. "A primeira etapa da formação compreende ações didáticas que abordam o tema pluralidade cultural. A segunda fase fornece conteúdo sobre a história da África e a terceira trata da história de afro-brasileiros", destrincha Ana Rita Machado, que constatou o baixo nível de informação de muitos professores. "Pessoas que não têm como sair para fazer uma especialização, um mestrado ou um doutorado e estavam afastadas dos discursos contemporâneos sobre as populações negras".

fonte www.palmares.gov.br/003/00301009.jsp?ttCD... -

POSTAGENS RECENTES

PESQUISAR ESTE BLOG

ARTIGOS SUGERIDOS

PÁGINA INICIAL

PÁGINA INICIAL
click na imagem

ORIXÁ EXÚ

ORIXÁ EXÚ

ORIXÁ OGUM

ORIXÁ OGUM

ORIXÁ IANSÃ

ORIXÁ IANSÃ

ORIXÁ XANGÔ

ORIXÁ XANGÔ

ORIXÁ OXUM

ORIXÁ OXUM

ORIXÁ OXÓSSI

ORIXÁ OXÓSSI

ORIXÁ IEMANJÁ

ORIXÁ IEMANJÁ

ORIXÁ OMOLÚ

ORIXÁ OMOLÚ

ORIXÁ NANÃ BURUQUÊ

ORIXÁ NANÃ BURUQUÊ